Os brasileiros estão perto de chegar ao limite da dívida. Para entender como uma nação inteira chegou a esse ponto, é preciso lembrar como é fácil comprar mercadorias no Brasil mesmo quando você não tem um único centavo no bolso. E a cada ano, a inadimplência sobe mais ainda.

A organização também diz que esse número é o resultado direto do crédito fácil em um país onde as pessoas não estavam acostumadas, então um consumidor empoderado aliado a parcelas muito atrativas criou a combinação perfeita para a situação atual que os brasileiros estão enfrentando.

O parcelamento via lojista e via emissor ainda surge para dar mais opções para os consumidores fazerem suas compras.

O que é o parcelamento?

Faz parte da cultura brasileira adquirir bens e serviços e pagá-los em várias parcelas, mesmo quando a quantidade necessária de dinheiro está disponível. A maioria dos brasileiros pensa “por que vou pagar R$900,00 se eu puder pagar R$100,00 por mês?”.

As parcelas dissolvem o preço de um bem e dão a ideia de que elas se encaixam muito bem em nosso orçamento. O problema é que a maioria dos brasileiros não presta atenção às taxas de juros envolvidas nas prestações e geralmente esquece que eles devem pagar esse valor todo mês durante vários meses.

Então, o que acontece é que eles acabam adquirindo outros bens, pagam-nos em parcelas e são enganados pela ilusão de ter dinheiro disponível quando, na verdade, todo o seu orçamento está comprometido e é aí que as coisas começam a ficar complicadas.

Além disso, muitas lojas (como mercearias, lojas de departamento e assim por diante) emitem boletos ou oferecem seus próprios cartões de crédito e permitem que o consumidor parcele suas compras em parcelas tão baixas quanto R$6,00. No entanto, para pagar essas dívidas é necessário que o consumidor vá diretamente para uma das lojas, o que muitas vezes leva a uma nova compra. Outra opção é usar o cartão de crédito.

Parcelamento de compras

Compras no cartão podem ser parceladas pelo lojista ou pelo cartão, e há muitas diferenças nessas duas formas de parcelamento. (Foto: Quick Registration)

Comprar parcelado no cartão de crédito

Os cartões de crédito também são usados ​​para pagar as compras em parcelas e, como mencionado anteriormente, pode ficar difícil acompanhar todas as compras feitas em um mês, então imagine acompanhar as compras feitas há seis meses?

Os cartões de crédito são fáceis de obter. Empresas de cartão de crédito geralmente trabalham em parcerias com bancos e, quando um cliente abre uma conta bancária, ele recebe imediatamente um cartão de crédito. Cabe aos clientes usá-lo ou não e, na maioria dos casos, acabam usando-o.

O crédito rotativo dos cartões de crédito está sujeito a uma taxa de juros anual extremamente alta, uma das maiores taxas dos países latinos.

Taxas de juros dos cartões de crédito

Como os cartões de crédito oferecem a opção de pagamento mínimo (que varia de 5% a 15% do valor total, de acordo com a empresa do cartão de crédito) é muito fácil perder o controle e limitar seu pagamento ao valor mínimo. Em algum momento, com taxas de juros de pelo menos 15% ao mês e até 463,30% ao ano, é impossível pagar a conta, até mesmo o valor mínimo, que aumenta a cada mês por ser proporcional ao valor total.

Diferença parcelado lojista e emissor

Mesmo com esse cenário desfavorável ao consumidor, as empresas não param de oferecer oportunidades e estratégias para que seja possível atrair mais novos clientes. O crédito parcelado pelo lojista e pelo emissor são duas dessas ferramentas. Essas ferramentas são oferecidas pelas empresas que intermedeiam os pagamentos, ou seja, as operadoras das máquinas de cartão.

No crédito parcelado pelo lojista, os clientes poderão parcelar as compras geralmente em até 12 vezes sem juros. Os lojistas recebem os valores em parcelas fixas, sendo que a primeira vem em até 30 dias após a venda efetuada.

No crédito parcelado pelo emissor, o parcelamento pode ser feito diretamente com o emissor ou administradora do cartão. No momento da compra, será verificado o valor das parcelas, bem como os juros cobrados. Após 30 dias, o lojista receberá o valor integral da venda, e o cliente pagará as parcelas normalmente.

Há duas diferenças principais entre o parcelado lojista e emissor:

  • Juros: no parcelado lojista, não há o pagamento de juros, enquanto no parcelado pelo emissor há.
  • Valor para o lojista: no parcelado pelo lojista, ele receberá as parcelas nos meses que elas forem pagas. No parcelado pelo emissor, ele receberá o valor integral da venda em apenas uma parcela, independente da quantidade de parcelas feitas pelo cliente.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas para que possamos ajudar!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)