Como registrar os parcelamentos em um balanço patrimonial?

Escrito na categoria "Taxas de máquina de cartão" por André M. Coelho.

Quando você vende em prestações, seu cliente toma posse da mercadoria no momento da venda. O cliente assina um contrato ou faz o parcelamento no cartão concordando em pagar pela mercadoria, fazendo um número fixo de pagamentos durante um determinado período de tempo. Você reconhece a venda na demonstração de resultados e registra o preço total de venda na conta de contas a receber no balanço patrimonial. Com as vendas a prestações, você reconhece uma porcentagem dos lucros diferidos quando o cliente faz um pagamento. Isso determina quanto dos lucros restantes não cobrados são refletidos no balanço patrimonial.

Custo de parcelamento no balanço

Quando você relata os lucros não cobrados no balanço patrimonial depende se as vendas parceladas são uma parte normal de suas operações comerciais ou uma ocorrência ocasional. Produtos normalmente vendidos com base em parcelas são reportados como ativos circulantes. O motivo dessa classificação é que seu ciclo de contrato de parcelamento anual segue seu ciclo anual de contabilidade de negócios. No entanto, se você raramente vender em prestações, as contas a receber relacionadas serão listadas como ativos não circulantes ou de longo prazo, uma vez que há alguma dúvida de que os lucros serão coletados.

Venda à prazo no balanço

Uma venda a prazo é classificada como uma venda de contas a receber. A transação inicial é registrada no balanço no montante total de vendas. Por exemplo, uma venda a prazo de R$10.000 é registrada como um débito de R$10.000 para contas a receber. As vendas a prestações normalmente têm um tempo de vida superior a um ano. Para evitar confusões, as contas a receber são listadas por ano no balanço patrimonial. Por exemplo, as contas a receber abertas em 2014 são mostradas como contas a receber de 2014 no balanço patrimonial.

Custos de parcelamento

O pagamento parcelado tem custos para o comprador, que podem ser diferentes se o parcelamento for feito pela loja ou pelo comprador. (Foto: Pay By Group)

Porcentagem de lucro bruto

A porcentagem de lucro bruto é usada para reconhecer uma parte de seus lucros diferidos. Para calcular a porcentagem do lucro bruto, divida o montante do lucro bruto das vendas a prestações pelas vendas líquidas por um determinado período de tempo. O valor líquido de vendas é o total de vendas menos as mercadorias devolvidas pelos clientes. Por exemplo, nos últimos seis meses, suponha que suas vendas líquidas foram de R$100.000 e o lucro bruto das vendas a prestações foi de R$200.000. Seu percentual de lucro bruto é de R$200.000 dividido por R$100.000, ou 50%.

Ajuste de balanço para parcelamentos

Para calcular o montante do lucro bruto diferido necessário para ajustar corretamente as contas a receber, multiplique o montante arrecadado de seus clientes pela porcentagem de lucro bruto. Por exemplo, digamos que o balanço patrimonial mostre R$10.000 em suas contas a receber a prestações, sua porcentagem de lucro bruto é de 60% e você coleta R$2.000 em pagamentos para o mês. Você reconhece o lucro bruto diferido multiplicando R$2.000 por 60%, ou R$1.200. Subtraia R$1.200 de R$10.000 para R$8.800. A conta de contas a receber no montante do balanço patrimonial deve refletir esse novo valor do saldo da parcela não cumulativa de R$8.800.

Não se esqueça de descontar do líquido o valor das taxas cobrados no parcelamento. Caso tenha ficado alguma dúvida, não esqueça de deixar suas perguntas nos comentários abaixo!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Após ouvir relatos de seus clientes empresariais, André percebeu que existia o receio de aceitar cartões por motivos variados, desde custos até não saber como funcionava uma máquina de cartão. Sendo especialista em finanças e educador financeiro com mais de 300 horas em cursos, André decidiu escrever sobre as máquinas de cartão para ajudar seus leitores e os vendedores que querem entrar neste mundo dos cartões de crédito e débito.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Maquininha não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário