Resseguro, o que é?

Escrito na categoria "Como pedir máquina de cartão" por André M. Coelho.

O resseguro ocorre quando várias seguradoras compartilham o risco, adquirindo apólices de seguro de outras seguradoras para limitar sua própria perda total em caso de desastre. É geralmente definido como os seguros de seguradoras. A ideia é que nenhuma seguradora tem exposição excessiva a um evento ou desastre particularmente grande.

O que significa resseguro?

O resseguro ocorre quando várias seguradoras compartilham o risco, adquirindo apólices de seguro de outras seguradoras para limitar sua própria perda total em caso de desastre.

Ao distribuir o risco, uma seguradora assume clientes cuja cobertura seria um fardo muito grande para uma única seguradora cuidar sozinha.

Os prêmios pagos pelo segurado são normalmente compartilhados por todas as seguradoras envolvidas.

As regulamentações geralmente exigem que as resseguradoras sejam financeiramente solventes para que possam cumprir suas obrigações com as seguradoras cedentes.

Resseguradoras no Brasil e no mundo

As raízes do resseguro remontam ao século 14, quando ele era usado para seguros marítimos e contra incêndio. Desde então, cresceu para cobrir todos os aspectos do moderno mercado de seguros. Existem empresas que se especializam na venda de resseguro, existem departamentos de resseguros em companhias de seguros primárias A cedência compra resseguro diretamente de uma resseguradora ou por meio de um corretor ou intermediário de resseguro.

Resseguro na prática

O resseguro é uma forma das seguradoras compartilharem os riscos. (Imagem: Asia Insurance Review)

Como funciona o resseguro?

Ao distribuir o risco, uma seguradora individual pode aceitar clientes cuja cobertura seria um fardo muito grande para uma única seguradora cuidar sozinha. Quando ocorre o resseguro, o prêmio pago pelo segurado é normalmente compartilhado por todas as seguradoras envolvidas.

Se uma empresa assumir o risco por conta própria, o custo pode levar à falência ou arruinar financeiramente a seguradora e possivelmente não cobrir a perda da empresa original que pagou o prêmio do seguro.

Por exemplo, considere uma enchente massiva que atinge um estado e causa danos de bilhões de reais. Se uma empresa vendesse o seguro de todos os proprietários de casas, a chance de ela ser capaz de cobrir as perdas seria improvável. Em vez disso, a seguradora espalha partes da cobertura para outras seguradoras (resseguro), distribuindo assim o custo do risco entre muitas seguradoras.

As seguradoras compram resseguro por algumas razões: para limitar a responsabilidade sobre um risco específico, para estabilizar a experiência de perdas, para proteger a si mesmas e ao segurado contra catástrofes e para aumentar sua capacidade. Mas o resseguro pode ajudar uma empresa, fornecendo o seguinte:

Transferência de risco: as empresas podem compartilhar ou transferir riscos específicos com outras empresas.

Arbitragem: lucros adicionais podem ser obtidos adquirindo seguro em outro lugar por menos do que o prêmio que a empresa cobra dos segurados.

Gestão de capital: as empresas podem evitar a necessidade de absorver grandes perdas passando o risco; isso libera capital adicional.

Margens de solvência: a compra de seguro de alívio excedente permite que as empresas aceitem novos clientes e evitem a necessidade de levantar capital adicional.

Experiência: a experiência de outra seguradora pode ajudar uma empresa a obter uma classificação e prêmio mais elevados.

Regulamento de resseguradoras

As resseguradoras são regulamentadas em âmbito federal. Os regulamentos são elaborados para garantir solvência, conduta de mercado adequada, termos de contrato e taxas justos, e para fornecer proteção ao consumidor. Especificamente, os regulamentos exigem que o ressegurador seja financeiramente solvente para que possa cumprir suas obrigações com as seguradoras cedentes.

O resseguro é uma maneira pela qual uma empresa reduz seu risco ou exposição a um evento indesejável. A ideia é que nenhuma seguradora tenha exposição excessiva a um grande evento / desastre em particular. Se uma empresa assumisse o risco por conta própria, o custo levaria à falência ou arruinaria financeiramente a seguradora e possivelmente não cobriria a perda da empresa original que pagou o prêmio do seguro.

Dúvidas? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos responder!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Após ouvir relatos de seus clientes empresariais, André percebeu que existia o receio de aceitar cartões por motivos variados, desde custos até não saber como funcionava uma máquina de cartão. Sendo especialista em finanças e educador financeiro com mais de 300 horas em cursos, André decidiu escrever sobre as máquinas de cartão para ajudar seus leitores e os vendedores que querem entrar neste mundo dos cartões de crédito e débito.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Maquininha não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário